A popularização do Digital Signage tem atraído cada vez mais empresas e empresários para atuar no setor, seja com criação de redes de Digital Signage explorando a publicidade com Mídia Indoor e Out Of Home, seja com a utilização do Digital Signage para amplificar o potencial de seus negócios com a aplicação em lojas de Varejo, TV Corporativa, entre outros.

Essa popularização se deve, entre outros fatores, à facilidade que há em iniciar uma operação pequena: uma TV e um pendrive são suficientes para começar a operar um ponto. Apesar de fácil iniciar uma operação reduzida, um crescimento por menor que seja (por exemplo, a partir de 2, 3 pontos) já começa a trazer dores de cabeça para o operador. E muitas empresas acabam caindo numa armadilha pensando que uma operação de Digital Signage, por ser fácil de começar também vai ser fácil de expandir.

Neste post queremos apresentar alguns elementos muito importantes e que devem ser foco de atenção de um novo empreendimento de Digital Signage, não importando o seu tamanho.

Vamos dar uma breve olhada em cada um dos 7 elementos-chave de Digital Signage individualmente:

 

Hardware

O Hardware é a parte mais óbvia e visível de um sistema de sinalização digital e o que é o menos difícil de entender. O hardware envolve exposições, montagens, stands, media players (o computador que vai tocar os seus conteúdos) e infraestrutura, tais como cabos, conectores e amplificadores de distribuição. Aqui a empresa precisa ter muita atenção pois equipamentos muito caros podem inviabilizar a operação, mas em compensação equipamentos de qualidade ruim terão muitos problemas e a operação vai ficar travada tentando resolvê-los, ao invés de ajudar a empresa a crescer.

 

Software

Uma das escolhas mais importantes que uma empresa de Digital Signage tem que fazer é uma parceria com um software seguro, estável e fácil de usar para desenvolver seus projetos. Um bom software poderá ajudar a empresa a publicar rapidamente novos conteúdos, distribuí-los em playlists para rodar nas telas e monitorar a exibição.

Há várias opções no mercado, desde softwares gratuitos e de código aberto até softwares complexos e de valor elevado, que demandam uma estrutura de servidores complexa instalada na empresa.

Uma das opções mais vantajosas hoje em dia são os softwares que operam em Nuvem, poupando a empresa do investimento em infraestrutura e deixando-a livre para focar no que é essencial para o seu negócio. O 4YouSee, por exemplo, é uma solução que atende empresas de vários portes e que funciona completamente na Nuvem. Você pode fazer um teste gratuito ou ainda conversar com nossa equipe comercial.

 

Conectividade

Tendo optado por operar sua rede com um software, é essencial que seus players (os computadores que irão mostrar os conteúdos nos monitores) tenham uma boa conexão com os servidores na nuvem. Conexões cabeadas são as mais confiáveis, mas em alguns casos podem ser impraticáveis, seja por falta de infraestrutura adequada, seja por tornar o visual da área onde estará o player pouco agradável.

Neste caso, poderão ser utilizados roteadores wi-fi para distribuir a internet para os players. Mas atenção: você precisa conhecer antecipadamente suas condições de conectividade, para saber se vai precisar de um equipamento com ou sem rede wi-fi.

 

Conteúdo

Não é incomum ouvirmos no mercado o clichê “Conteúdo é Rei”, apesar de apresentarmos uma visão um pouco diferente em um post recente no nosso blog: Conteúdo ainda é Rei?

No artigo acima concluímos que a estratégia por trás do conteúdo é ainda mais importante que o conteúdo em si. E isso só aumenta ainda mais a importância de um conteúdo bem pensado e planejado, feito à luz dos objetivos da empresa, mas também utilizando uma linguagem apropriada para o público-alvo.

Dessa forma, a empresa de Digital Signage pode produzir seus conteúdos internamente, utilizando uma equipe especializada e ferramentas especializadas como o 4YouSee Designer, ou ainda poderá desenvolver a estratégia internamente e terceirizar a produção visual para uma agência.

 

Operacional

O Operacional de uma empresa de Digital Signage envolve a instalação de players, telas e cabeamento, suporte técnico, manutenção e substituição dos equipamentos defeituosos, programação dos conteúdos a serem exibidos, extração de relatórios de exibição, entre outros. É o processo do dia a dia, que faz com que tudo funcione a contento.

Uma vez que a instalação inicial dos equipamentos está concluída, a rede precisa ser gerenciada diariamente. Quando algo dá errado, o serviço de suporte deve estar no local para resolver os problemas rapidamente.

E é na hora que algo dá errado que a empresa verá qual a força das parcerias estabelecidas. Por isso é muito importante que ela conte com os parceiros certos para o fornecimento de hardware de qualidade, software com suporte técnico comprometido e serviços acessórios (como internet) com alta disponibilidade.

 

Projeto

O Projeto envolve todas as análises necessárias para começar a operar um novo ponto visando atingir os objetivos da empresa. Seu projeto deve incluir a análise da localização (interior ou exterior), o estudo de intempéries como umidade, calor e vibração a que os equipamentos estarão sujeitos, iluminação do ambiente e como ela favorece (ou não) suas telas, segurança dos equipamentos, risco de vandalismo, tamanho e posicionamento das telas, perfil do público que será impactado por essas telas, entre outras coisas.

Seu projeto de implantação é o elo de integração entre os pontos explicados até aqui: hardware, software, conectividade, conteúdo e operacional.

 

Negócios

Não importa se o Digital Signage na sua empresa seja uma atividade fim (como nos casos das redes de mídia out of home) ou uma atividade meio: deve ser uma atividade com alinhamento estratégico, cujo foco seja alcançar os objetivos de negócio da empresa.

Sendo assim, é muito importante que haja um plano de negócios que contemple uma estratégia específica para o Digital Signage na sua empresa. Nesse plano você deverá descrever:

  • Quais os investimentos que serão feitos
  • Qual a expectativa de retorno desse investimento (ROI)
  • Qual o capital de giro necessário para manter o negócio rodando (no caso de uma rede de Mídia out of Home ou Mídia Indoor)
  • Como você irá extrair valor desse negócio (ex.: venda de publicidade, aumento nas vendas em lojas de varejo, melhorias do clima organizacional e da produtividade dos funcionários, etc).
  • Quais os riscos e oportunidades identificados

Essa é, sem dúvida, a parte mais importante do seu negócio. É a partir do seu plano de negócios que todos outros itens se desenvolverão. Muitas pessoas pesquisam e procuram entender profundamente dos itens-chave explicados acima e esquecem-se justamente desse item, tendo por consequência a falência do negócio ou um crescimento que não acontece na velocidade que poderia acontecer ou que era esperada.
E então, o que você achou? Tem algum ponto desses que você já deixou de observar e acabou tendo problemas? Há mais algum item que você considera importante e que não colocamos nessa lista? Conte-nos mais nos comentários abaixo!

Case: como a Posto Mídia aumentou a produtividade em 25% utilizando o 4YouSee