Ter uma rede de digital signage com ótimo conteúdo, no volume certo e com bons recursos visuais é tudo o que se precisa para fazer dela um sucesso, correto? Não necessariamente! Um aspecto que pode passar despercebido em muitos casos é a adequada frequência de atualização do conteúdo – que pode variar muito, dependendo do contexto.

Locais em que as pessoas ficam mais tempo e passam com grande frequência, como uma estação de transporte coletivo ou mesmo o interior de um metrô, requerem que o conteúdo seja atualizado sempre em algumas horas, sob o risco de rapidamente se tornar obsoleto.

Ver as mesmas notícias no trajeto de ida e de volta, por exemplo, faz com que as pessoas fiquem com a sensação de estar vendo conteúdo antigo. O ideal é que o conteúdo seja alterado de manhã, à tarde e à noite. Veja 3 dicas para criar conteúdo para Digital Signage em tempos de crise.

Longa vida

Em outros casos, o conteúdo pode ter uma vida útil bem mais longa. Uma agência bancária que os clientes tendem a visitar, em média, no máximo uma vez por semana não precisa necessariamente atualizar seu conteúdo diariamente. Já uma clínica médica, por exemplo, tem uma dinâmica completamente diferente. As pessoas normalmente só buscam um estabelecimento desse tipo quando têm uma necessidade específica (por exemplo, estão doentes). Nesse caso, o conteúdo pode ser atualizado em frequências bem menores, como a cada quinze dias ou até mesmo uma vez por mês.

Mas atenção! Existem certos tipos de conteúdo que precisam ser atualizados com grande frequência, independentemente do contexto, devido à própria natureza da informação apresentada. É o caso de notícias, previsão do tempo, agenda de eventos, resumo de novelas etc. Nesses casos, existe um componente temporal associado à própria informação que faz com que ela se torne desatualizada logo, devendo ser substituída por outra mais recente. É sempre preciso avaliar, inclusive, se a informação já não contém uma validade temporal específica, como é o caso de previsão de tempo.

Valor no conteúdo

O importante é que o público-alvo tenha uma percepção de valor na informação apresentada, seja pelo fato dela representar uma novidade para ele, seja por entretê-lo ou para mantê-lo informado do que está acontecendo. Quando o conteúdo fica obsoleto, esse valor se perde, fazendo com que o canal de digital signage também perca valor. E essa é uma situação absolutamente indesejável.

Por esse motivo, é preciso sempre avaliar com muito cuidado tanto o contexto, quanto a natureza da informação para garantir que você esteja sempre apresentando conteúdo atualizado e com verdadeiro potencial de despertar o interesse do público. Com a frequência de atualização correta sendo aplicada para cada caso, combinada à qualidade do conteúdo em si, ao volume de informações apresentadas e aos recursos visuais utilizados, torna-se possível, enfim, a criação de uma rede de digital signage de sucesso!

Qual a sua experiência com a frequência de atualização dos conteúdos de digital signage? Quando se mostrou adequada e quando se mostrou insuficiente? Compartilhe conosco suas dúvidas e impressões sobre o assunto.

 

definindo uma estratégia vencedora de conteúdo para sua rede de mídia digital out of home