Este artigo aborda aspectos técnicos e estratégicos sobre fatores de sucesso em projetos de comunicação utilizando displays digitais dentro de ônibus coletivos urbanos.

Se você é operador de mídia digital que já explora a mídia embarcada ou está pensando em fazer isso nos próximos meses, esse artigo é um guia essencial para seu trabalho.

Caso você seja diretor ou responsável técnico por um consórcio de empresas de ônibus, essa leitura irá ajudá-lo a escolher o fornecedor certo para operar a mídia nos ônibus que você administra.

Boa leitura!

1 – Escolha uma forma de transmissão de conteúdos eficiente e que caiba no seu orçamento

Diferente do que ocorre em telas de mídia em shoppings ou em TVs Corporativas, onde não há grandes desafios para se conectar os players à internet, instalar um monitor para exibir conteúdos digitais dentro de ônibus exige uma atenção especial à conexão com a internet.

Como os ônibus são pontos de mídia em movimento, não é possível utilizar a conexão física normalmente disponibilizada por provedores de internet. Restam então duas opções:

Conexão 3G ou 4G

Esta é a solução mais eficiente e recomendada, dado que os players ficam online praticamente o tempo todo. Assim é possível que atualizações de playlists e notícias de portais sejam propagadas em tempo real, e também é possível monitorar a programação que está passando em cada ônibus remotamente, e até mesmo a localização do ônibus.

A desvantagem deste modelo muitas vezes é encontrada no custo do pacote de dados, que é mensal e por cada ônibus. Mas é possível conseguir boas negociações junto às operadoras de telefonia.

Como no Brasil a internet móvel ainda carece de muitas melhorias, é comum ocorrer áreas de “sombras”, onde se perde a conexão. É por isso que você precisa utilizar um software que gerencie automaticamente a reconexão e faça downloads continuados dos seus conteúdos, que ocorre quando um download continua a partir do ponto onde parou logo que a conectividade é restabelecida.

 

Internet Sem fio – Wifi 

A alternativa de conectividade para projetos de mídia em ônibus é a utilização de “access points” em garagens/terminais. Nesse caso, os ônibus recebem atualização de conteúdos e enviam seus logs quando estão próximos a esses locais.

A desvantagem em relação à solução de internet móvel é que o ônibus não fica online o tempo todo, mas há uma garantia de que a cada intervalo de tempo a programação será atualizada e o player reportará seu status ao servidor de gerenciamento. Na maioria dos projetos, é uma solução viável.

A grande vantagem é em relação a custo. Embora seja necessário investir em conexão de qualidade nos terminais e garagens, normalmente o custo total de implantação e manutenção é menor do que o que se gasta com os contratos de conexão 3G ou 4G.

 

2 – Não abra mão da interatividade

Hoje quase todo mundo utiliza o smartphone durante as viagens de ônibus urbanos. As redes sociais, os aplicativos de mensagens e outros gadgets recebem muita atenção do público.

Esse é um grande desafio do seu projeto: Chamar a Atenção.

E o melhor jeito de fazer isso é se tornar relevante, colocar um conteúdo que atrai e que entrega informação de valor. Pense no que existe perto dos pontos de paradas da linha de ônibus, sugira atividades próximas a esses locais e veicule anúncios com promoções de verdade para as pessoas.

Convide as pessoas a verem uma postagem na rede social que acabou de ser publicada ou publique um vídeo que acabou de se tornar viral na internet.

Sair do comum aqui é a palavra de ordem!

Boton MooH

3 – Controle é tudo

Para gerar valor a seu público e seus anunciantes, é essencial que toda a operação esteja em suas mãos.

Saber os horários em que cada conteúdo passou, em quais ônibus, e até mesmo as localidades onde as mensagens foram exibidas, pode ter alto valor de comprovação de veiculação.

Além disso, receber sinais vitais dos equipamentos que possam indicar possíveis problemas futuros é importante para se acionar manutenções preventivas e evitar que os monitores fiquem sem mostrar o conteúdo. Monitor desligado ou com a programação congelada é sinônimo de perda de receita e de credibilidade.

 

4 – Segmentação

Públicos diferentes precisam de conteúdos diferentes, em horários diferentes

Garanta que a sua programação é relevante para o público que está assistindo.

Isso tem a ver com a linha de ônibus e com o horário da viagem. Pessoas que utilizam linhas que atendem a zona norte de uma cidade certamente possuem interesses diferentes daquelas que trafegam pela zona sul.

Da mesma forma, pessoas que circulam logo cedo podem querer assistir a conteúdos muito distintos dos quais as interessariam no final do dia.

 

Conclusão

Transmissão, Interatividade, Controle e Segmentação são as palavras que resumem os fatores críticos de sucesso de uma operação técnica de mídia digital embarcada em ônibus.
Embora aspectos como qualidade dos equipamentos e estratégia comercial são também decisivos para o sucesso do projeto, se os quatro elementos abordados nesse artigo forem corretamente conduzidos, a experiência do usuário final será relevante e seu projeto terá maiores chances de prosperar.

Fale com nosso time de vendas e veja como o 4YouSe pode ajudá-lo a implementar as 4 dicas que foram apresentadas neste texto.

Ao final deste artigo há um espaço para você compartilhar suas opiniões e perguntas sobre este assunto.


Estamos desenvolvendo uma rápida pesquisa a fim de conhecer cada vez melhor o mercado de Mídia Digital Out of Home para que possamos aprimorar ainda mais nossas soluções para este mercado.

Botão pesquisa

 

Créditos da imagem: Freepik