Os produtos chineses sempre fizeram parte da rotina dos brasileiros e a China vem conquistando um espaço ainda maior no cenário mundial. Só em julho desde ano, as exportações do oriente aumentaram em cerca 3,3%. Um número significativo, levando em consideração a guerra comercial com os Estados Unidos. E muitos especialistas já preveem um aumento ainda maior para os próximos anos.

O “Dia dos Solteiros” é celebrado no comércio chinês desde 2009. Somente no ano passado, a data movimentou cerca de U$ 30 bilhões na economia do país. Há alguns anos, as empresas de e-commerce vêm tentando aproveitar este dia para aumentar as vendas de seus produtos.

Neste ano, a data conhecida como a Black Friday chinesa movimentou o comércio do Brasil. Muitos lojistas aproveitaram as ofertas para criar promoções e lucrar com a ocasião. As influências estão nas estratégias de divulgação e até no preço dos produtos. Trouxemos alguns exemplos de lojas do varejo que podem inspirar suas ações para o próximo ano.

AliExpress

Já muito conhecido pelos brasileiros, o AliExpress, do grupo varejista Alibaba, atua em 200 países pelo mundo. O e-commerce sempre traz promoções no dia 11 de novembro, mas neste ano, com foco no consumidor brasileiro, a visibilidade foi ainda maior do que nos anos anteriores. 

O Brasil é o quinto maior consumidor de mercadorias do site. Pensando nisso, a empresa decidiu tentar competir com a Black Friday brasileira, oferecendo descontos de até 70% nos seus produtos, garantindo que estes seriam os menores preços do ano.

Para ter certeza de que todos os países aproveitaram a promoção, os descontos do site circularam das 4 horas manhã do dia 11 de novembro até às 3h59 do dia 13 (horário de Brasília).

Para divulgar a campanha, o AliExpress trabalhou com divulgações pela internet, através de anúncios e influenciadores digitais. O resultado: 210 pedidos brasileiros por minuto, o dobro da mesma data em 2018. No total, foram mais de  910 mil pedidos.

Magazine Luiza

Com as mudanças no mercado, o Magazine Luiza aprimorou suas estratégia de divulgação replicando uma estratégia chinesa que promete gerar um grande impacto para o consumidor brasileiro.

Assim como o Alibaba fazia no Dia do Solteiro, a empresa irá realizar um programa de televisão para divulgar as promoções da Black Friday. Esse é o maior investimento da história do Magazine Luiza em uma única campanha de marketing voltada para uma data comemorativa.

O programa televisivo, batizado de “Black das Black” será ao vivo, irá ao ar no canal Multishow e será apresentado por Luciano Huck. Nas duas horas de duração, o show vai mesclar entretenimento e vendas. Cerca de 12 milhões de itens estarão disponíveis nos canais de venda da loja, com descontos chegando a até 80%.

Com a participação de cantores, humoristas e influenciadores digitais, as ofertas serão apresentadas de forma lúdica, por meio de dinâmicas entre os artistas. Dependendo do ganhador, o produto terá um determinado desconto. Os artistas também farão apresentações e, nesse meio tempo, os consumidores que tiverem o aplicativo da loja no celular, poderão comprar os produtos.

Casas Bahia

Com o mote “A maior melhor ainda” a Casas Bahia, do grupo Via Varejo, apostou na dupla sertaneja Maiara e Maraisa cantar o hit da Black Friday 2019. A campanha deste ano está 60% maior, em comparação com a do ano passado. E onde o Dia dos Solteiros chinês entra nisso?

Desde o início da veiculação da campanha no dia 30 de outubro, a loja está divulgando uma oferta a cada 24 horas. A ação foi chamada de “Esquenta Black Friday”. Diversos produtos foram divulgados com ofertas através dos canais de vendas da empresa, incluindo móveis e eletrônicos. E grande parte deles, eram importados da China.

Um outro ponto a ser destacado: A Casas Bahia aproveitou o engajamento da campanha para atrair mais usuários para o aplicativo de vendas da loja, lançado no ano passado (2018). Todas as ofertas divulgadas antes da Black Friday foram veiculadas exclusivamente pelo app, que também promete outros benefícios.

Essa foi a primeira vez que o comércio brasileiro esteve engajado com o “Dia dos Solteiros”, o que surpreendeu muitos consumidores. Outros nomes do varejo como Americanas, O Boticário, Carrefour, Renner também aproveitaram a data para lucrar.  Com o sucesso deste ano, é bem provável que nos próximos anos a data continue crescendo e comece a fazer parte do comércio em nosso país. É importante que os varejistas estejam atentos às novas tendências e se programem para aumentar a lucratividade nos anos seguintes.